top of page
  • André Martins

Mercedes vende o carro mais caro do mundo por US$ 142 milhões

A Mercedes-Benz confirmou que vendeu recentemente o carro mais caro do mundo. Um raríssimo cupê Mercedes-Benz SLR de 1955 que havia sido mantido na coleção da montadora alemã foi vendido a um proprietário privado por US$ 142 milhões, o equivalente a R$ 677 milhões. Esse preço o torna o carro mais caro já vendido, de acordo com a Hagerty, uma empresa que acompanha os valores dos carros de colecionador.

O dinheiro da venda será usado para estabelecer o Fundo Mercedes-Benz, um fundo global de bolsas de estudo, disse a Mercedes em um anúncio .


O preço recorde anterior de venda de um carro foi de US$ 70 milhões pagos em 2018 por uma Ferrari 250 GTO de 1963 .


O Mercedes que foi vendido foi um dos dois únicos protótipos 300 SLR Uhlenhaut Coupe. Os carros de 67 anos foram nomeados para o engenheiro-chefe da Mercedes na época, Rudolf Uhlenhaut , e alegam ter uma velocidade máxima de 186 mph.


Em cinco de maio o leilão foi realizado em cooperação com a empresa de leilões de automóveis RM Sotheby's.


O outro Uhlenhaut Coupe permanecerá na coleção do Museu, de acordo com um comunicado da Mercedes-Benz.


“Seus carros de corrida das décadas de 1930 e 1950 são raros, e a maioria ainda pertence à fábrica, então qualquer um que chegue ao mercado é muito procurado”, disse Brian Rabold, vice-presidente de inteligência automotiva da Hagerty.


Os SLRs "Gullwing" da Mercedes - assim chamados por causa das portas que se erguem como asas curvas - são considerados entre os carros mais desejáveis ​​do mundo. E várias versões raras e de corrida são especialmente valiosas.


O SLR Uhlenhaut Coupe era, essencialmente, uma versão hard-top do famoso carro de corrida SLR aberto da Mercedes, movido por um motor de oito cilindros de 300 cavalos de potência. O pensamento era que um carro fechado protegeria melhor os motoristas do vento e do clima em altas velocidades, enquanto o teto fechado também melhoraria a aerodinâmica.


Logo após o desenvolvimento desses carros, a Mercedes parou de se envolver no automobilismo, de modo que os carros nunca foram usados ​​em competição.


Embora a identidade dos novos proprietários do carro permaneça desconhecida, o negociante de carros clássicos britânico Simon Kidston afirmou em um comunicado de imprensa ter feito a oferta vencedora em nome de um cliente.

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page