top of page
  • André Martins

Fóssil de pterossauro 'raríssimo' é descoberto na Escócia

Atualizado: 2 de mar. de 2022


O pterossauro recebeu o nome gaélico Dearc sgiathanach, que se traduz como “réptil alado”.


O fóssil de um pterossauro de 170 milhões de anos, descrito como o esqueleto de réptil alado pré-histórico mais bem preservado do mundo, foi encontrado na Ilha de Skye, na Escócia, disseram cientistas nesta terça-feira.


O Museu Nacional da Escócia disse que o fóssil do pterossauro, mais popularmente conhecido como pterodátilo, é o maior desse tipo já descoberto no período jurássico. O réptil tinha uma envergadura estimada em mais de 2,5 metros (8,2 pés), semelhante à de um albatroz, disse o museu.


O fóssil foi descoberto em 2017 pela estudante de doutorado Amelia Penny durante uma viagem de campo na Ilha de Skye, no remoto noroeste da Escócia, quando avistou a mandíbula do pterossauro saindo das rochas. Agora será adicionado à coleção do museu.


“Pterossauros preservados em tal qualidade são extremamente raros e geralmente são reservados para selecionar formações rochosas no Brasil e na China." - disse Natalia Jagielska, estudante de doutorado da Universidade de Edimburgo.

Os pterossauros foram os primeiros vertebrados a voar, cerca de 50 milhões de anos antes das aves. Eles viveram desde o período Triássico, cerca de 230 milhões de anos atrás. Pensava-se anteriormente que eles eram muito menores durante o período jurássico.

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page